Busca

Vital Tech Soluções Eletrônicas

www.vitaltech.com.br

A importância da automação industrial

A automação industrial é um procedimento no qual as tarefas de produção que eram realizadas por operadores humanos são transferidas para um a um conjunto de elementos tecnológicos levando-se em consideração possíveis eventualidades que possam ocorrer mantendo sempre a segurança e a qualidade. Através da automação, as empresas passaram a ter resultados significativos nas linhas de produção e muitos trabalhos manuais puderam ser feitos por máquinas que trabalham sozinhas e com maior precisão e velocidade.

 

Com relação à segurança dos funcionários, a automação industrial também auxilia. É possível monitorar qualquer complexo industrial durante 24h por dia e, através de painéis de LED, alertas sonoros ou luminosos e sensores há possiblidade de identificar qualquer irregularidade, sendo no processo de produção ou alertando os perigos aos funcionários e, consequentemente, diminuindo os riscos e fatalidades.

O CLP (Controladores Lógicos Programáveis) são considerados “o cérebro” da automação por serem capazes de controlar os equipamentos e processos. Ele possui as características de um computador, mas com a diferença de ter sido projetado especialmente para trabalhar em ambientes industriais dos mais limpos aos mais agressivos. Outra diferença com relação ao computador, é que o firmware (software interno) de um CLP é muito adaptado para a gestão de falhas e defeitos que podem ser avarias internas, falhas de energia ou falhas nas conexões dos cartões. O CLP também possui alta flexibilidade devido a possibilidade de expansões de entradas, saídas e comunicação que também pode ser realizada com diferentes dispositivos industriais.

Os sistemas de automação são de fundamental importância em qualquer processo produtivo e os painéis indicadores de produção também auxiliam na automatização dos processos fabris e a proporcionar a mensuração das atividades e produtividade dos colaboradores na linha de produção. Além disso, os painéis podem ser fabricados de acordo com a necessidade de cada cliente e estarem preparados para receber um sinal disponibilizado pelo CLP ou até mesmo ter as informações inseridas manualmente.

Anúncios

Holanda ganha faixa de LED no chão para pedestres viciados em smartphone

Afim de alertar os pedestres viciados em celular quando é seguro ou não atravessar a rua, a prefeitura de Bodegraven, na Holanda, instalou luzes de LED no chão de um cruzamento. A faixa de luz muda de vermelho para verde de acordo com o semáforo dos carros.

A nova tecnologia, chamada de “+ Light Line” foi criada por uma empresa local que pretende aumentar o alcance se esse teste for bem aceito.

Em entrevista para um jornal Britânico, o vereador do município de Boderaven alegou: “Mídias sociais, jogos, WhatsApp e música são grandes distrações no tráfego. Nós não podemos mudar essa tendência, mas podemos antecipar os problemas.”

Arteris – 10 anos

Parabenizamos a ARTERIS S.A. pelos seus 10 anos da assinatura de concessão de rodovias (autopista Litoral Sul, Planalto Sul, Fernão Dias, Fluminense, Régis Bittencourt, Autovias, Centrovias, Intervias e Vianorte).

Grandes obras foram realizadas como a conclusão da duplicação na Serra do Cafezal, a iluminação em led na Serra de Curitiba, 32 quilômetros entre Tijucas do Sul e Guaratuba.

Agradecemos a parceria ao longo desses anos e que possamos continuar realizando grandes obras, crescendo juntos.

Vital Tech

Led e suas vantagens

Conheça algumas vantagens na utilização do Led:

  • O Led pode ser descartado no lixo comum porque não contém mercúrio nem metais pesados em sua composição.
  • O Led não esquenta o ambiente. Logo, não atrai insetos nem desbota objetos.
  • 10% da energia consumida por uma lâmpada comum é usada para produzir luz, o restante é desperdiçado em forma de calor. Já nos Leds, essa eficiência ultrapassa os 80%.
  • Insetos como mosquitos e moscas são atraídos pelo espectro de infravermelho que muitos tipos de lâmpada emitem, o que contribui para a transmissão de doenças.
  • Deixar a carne exposta em um lugar iluminado por Led tende a ter uma proliferação de bactérias menor após um determinado tempo que se estivesse exposta a lâmpadas comuns. Isso pode ser explicado porque o Led não emite raios ultravioleta. Esse fato é importante para estabelecimentos como restaurantes e supermercados, já que são lugares em que a qualidade da comida é essencial.

Por que 110V e 220V?

Você já deve ter se perguntado por que existem duas opções de voltagem para as instalações elétricas, 110V e 220V, ao invés de um padrão único, ainda mais se já queimou algum aparelho por causa disso. Acontece que as diferentes voltagens tiveram origem no começo da implantação da eletricidade no Brasil no começo do século 20.

No início da eletrificação no país não existiam empresas nacionais, o que levou o Brasil a sofrer influência de empresas dos EUA e da Europa. Daí a possibilidade de duas voltagens, já que as norte-americanas usam apenas 110v e as europeias 220v.

Além disso, na época que se definiu o padrão, estudos mostraram que o custo para se converter as instalações diferentes para uma só era absurdamente inviável, fazendo com que as duas possibilidades permanecessem e rendessem aparelhos tanto 110v quanto 220v até hoje.

Indicador de Velocidade 3 Dígitos 4″ Pol. 0-10 V (IND-0105)

 

Indicador de Velocidade 3 Dígitos 4″ Pol. 0-10 V (IND-0105)

– 03 dígitos para indicar velocidade da máquina

– dígitos de 4″ polegadas (10,5 cm de altura útil em led’s difuso monocromático vermelho);

– uso interno

– preparado para receber sinal analógico de 0-10 v

– fonte de alimentação externa ao painel (incluso)

– dimensões do painel: 35 x 25 x 05 (aproximadamente)

– distância de visibilidade de até 50 metros

 

Painéis Industriais
Os Painéis Industriais Vital Tech oferecem a mais moderna tecnologia do mercado, automatizando os processos fabris e proporcionando a mensuração das atividades e produtividades dos colaboradores na linha de produção. Reproduz a realidade da produção de qualquer indústria on-line e para todos os departamentos; para que as pessoas envolvidas possam agir rapidamente quando necessário. Ideais para ambientes de chão de fábrica, recebem informações com diversos tipos de comunicação em ambiente interno ou externo. Realize seu projeto de acordo com as necessidades da sua empresa e personalize seu painel com a Vital Tech!

Automação Industrial e Redes Wi-fi

As redes de Comunicação sem fio vêm ganhando espaço no ambiente industrial de fábrica com o aumento significativo do uso da tecnologia da informação e tecnologia da operação isso resultando em uma convergência industrial.

Todos temos conhecimento das redes Wi-fi em nosso dia-a-dia onde conectamos nossos aparelhos para acesso a serviços de internet, assim facilitando o uso e grande padronização da comunicação em geral, com as novas demandas na indústria essas redes de Wi-fi começaram a ser aplicadas no chão de fábrica.

As redes Wi-fi fazem parte das redes WLAN (Wireless Local Area Network), as mesmas são projetadas para pequenas áreas, com arranjos e contando com um bom tráfego de dados disponíveis. Essas redes são de fácil uso, mas é importante entender o que se justifica sua aplicação veja como se encaixam as aplicações na fábrica:

  • Interconexão Ethernet convencional (fiação) quando não é possível
  • Segregação de uma rede de comando e controle com uma de informação para gestão
  • Facilidade de manutenção e monitoramento (acesso remoto)
  • Disponibilidade da informação em múltiplos locais
  • Baixo Investimento em Infraestrutura para informações de planta

Para utilização dessas redes também são destacados muitos benefícios como baixo custo, aplicações especiais, mobilidade, alcance, flexibilidade, confiabilidade, implantação rápida, custo de manutenção, imunidade a ruídos, projeto/instalação (viabilidade) e diagnóstico de operação, manutenção e segurança. O funcionamento desta rede se define em propagação das ondas eletromagnéticas, onde as informações são trocadas através de antenas dos equipamentos, trafegam informações devidamente codificadas e interpretadas entre os dispositivos, formando uma rede de comunicação, através dos protocolos e serviços.

De acordo com a segurança da rede industrial, existem três aspectos que devem ser considerados: confidencialidade, integridade e disponibilidade.

Confidencialidade: Garantia da informação somente para usuário autorizado

Integridade: Informação somente pode ser modificada por usuário autorizado

Disponibilidade: Acesso permanente as informação pelos usuários autorizados

Para essas redes existem padrões, eles identificam a frequência de trabalho, a modulação e a velocidade dos dados da tecnologia suportada, já são encontradas cinco gerações de padrões e sua evolução é constante.

CLP – Controlador Lógico Programável

O Controlador Lógico Programável é a inteligência no processo de automatização de máquinas ou ambientes. Se trata de um computador que executa funções específicas através de um programa, é um computador com competências diferentes de um comum que utilizamos no dia a dia.

O CLP gerencia processos de forma automatizada, controlando todo sistema mecânico, ou seja um ‘’cérebro’’, o qual conterá as informações necessárias para que todo o sistema saiba o que está fazendo.

Neste meio pode ser que você se depare com duas sigas CLP e PLC não pense que se tratam de dois equipamentos diferentes, ambos se tratam do mesmo equipamento apenas um sendo utilizado em português e o outro em inglês.

CLP      = Controlador Lógico Programável

PLC      = Programmable Logic Controller

Como consta na história anteriormente os processos eram controlados por comandos elétricos, que ocupavam um grande espaço físico, se houvesse a necessidade de realizar alguma alteração para melhorias ou até mesmo reparos, seria necessário desmontar muitos painéis de comandos elétricos e tomaria tempo de muitas pessoas.

Com isso a alguns anos atrás foram determinados critérios para o projeto do CLP e assim dando origem ao primeiro dispositivo, bastou um computador e uma pessoa para manipular o programa de forma simples, simplificando a alteração dos processos, reduzindo tempo, mão-de-obra e obtendo lucros significativos.

Com a evolução da tecnologia, houve vários avanços e aperfeiçoamentos das funções do CLP desde sua criação até os dias de hoje, e assim seu uso vem se expandindo, apesar de ser dedicado normalmente as indústrias, está ganhando espaço na utilização em residências ganhando nome de Automação Residencial.

A Internet das Coisas na Indústria 4.0

 

A digitalização de dados de máquinas, processos e dispositivos, complementam a camada operacional de uma planta industrial. A Internet das Coisas (IoT), como é conhecida, é a técnica que permite conectar informações em geral de dispositivos na internet.

Isto possibilita, dentro da Indústria 4.0, a interconexão de dados e sistemas, permitindo formar o ecossistema cibernético, onde conseguimos obter a interoperação completa e total da planta industrial, onde podemos chamá-la de planta digital.

Vamos entender através de nossa analogia já estudada anteriormente a questão das rodovias: como já construímos as vias (infraestrutura), colocamos sinalização e procedimentos de tráfego (cibersegurança), agora como permitir com que todos os elementos ao redor desta rodovia (cadeia produtiva), possa trocar informações entre si, criando um ambiente digital, impactando novos formatos de produção, desde o planejamento a logística, passando pela produção e qualidade.

Com isso, vamos falar neste artigo sobre:

  • Como criar uma camada de digitalização do processo produtivo – IoT
  • Como conectar a cadeia de fornecimento, complementando a interconexão da indústria – IIoT
  • Quais ferramentas de gestão operam no nível de digitalização da produção

Quando pensamos em digitalizar a produção industrial, termo este que é usado na camada da Indústria 4.0, temos diversos cenários, abaixo listamos alguns que ocorrem e merecem nossa atenção:

  • Em uma unidade produtiva, é necessário digitalizar os movimentos dos ativos para planejamento e controle da qualidade
  • Para apoiar o setor de manutenção, a digitalização de todos elementos ativos, documentos e cenários, permitem o prognóstico de planta
  • A interconexão de logística, fornecedores, suprimentos, agrícola na rede industrial, permite gestão em tempo real para produção

Na evolução da informação digital das plantas produtivas, temos a época que na verdade o dado nem mesmo era digital, somente havia a informação e esta era analógica.

Depois houve a evolução dos dispositivo, mas continuava com o foco loca. Após essa fase, temos com as redes locais, a possibilidade de verticalizar dados – que são digitais – trocando informações do chão de fábrica, planejamento e administração com a TI. Todavia, com foco apenas nos sistemas que permitiam esta função.

Mas a Indústria 4.0, necessita de uma outra camada, para que de fato tenhamos uma produção digital. Desta forma, os ativos, sistemas e subsistemas da cadeia produtiva, devem complementar as informações de toda a unidade industrial, através da convergência de todas as redes industriais.

Para digitalização de dados da indústria, temos diversos desafios, podemos eleger alguns comuns para que seja pensado na implantação da solução:

  • Como criar uma rede de informações complementar na produção que permita planejar e monitorar a produção e manutenção em tempo real
  • Como conectar redes independentes, tais como, logística, fornecedores, laboratórios e unir nas redes industrias
  • Como estabelecer padronização e segurança da informação nas redes de IoT na indústria

O conceito da informação digital no contexto da Indústria 4.0, é que este dado, deve ser de todos os ativos e sistemas (todas as coisas), deve estar em qualquer lugar e permitir a conexão com esta informação a qualquer hora.

A Internet das Coisas na Indústria

A  Internet das Coisas (IoT), surge como a ideia de conectar qualquer dispositivo que gere informações e possa se conectar a um serviço de cloud. E isso pode estar em qualquer âmbito: casa, hospitalar, esportes, entre outros.

Já a Internet Industrial das Coisas (IIoT), foi a evolução das informações da cadeia produtiva, com o mesmo conceito de IoT, conectando estas informações via cloud, por exemplo.

É importante saber a diferença entre IoT e IIoT: sistemas que conectam coisas, complementam informações, normalmente somente produzem dados, pode ser usado em qualquer setor da indústria, por exemplo, para gerenciar ativos e analisar tendências de manutenção.

A IIoT, forma uma camada crítica do processo produtivo, por exemplo, pode-se conectar diretamente um fornecedor de produto em tempo real na linha de produção, que analise a qualidade e uso de seu produto.

Outro exemplo é conectar a cadeia logística de entrada e saída de materiais e controlar a produção, em tempo real, no ponto ótimo de operação. Isso passa a ser uma aplicação de produção e consumo de dados, com perfil crítico.

A utilização de IoT e IIoT, trazem benefícios as plantas produtivas, onde são esperados os seguintes ganhos abaixo:

  • Redução de operações ou paradas
  • Melhoria do uso do ativo
  • Redução de operações ou custo do ciclo do ativo
  • Melhoria do uso do ativo – performance
  • Melhoria da produção
  • Aumento da rapidez na tomada de decisões
  • Oportunidade para novos negócios
  • Permitir venda ou compra de produtos como serviço

A Indústria 4.0, propõe a fábrica digital. Com isso, a premissa de se digitalizar todas as informações pode levar a um questionamento sobre a razão e motivo de digitalizar tantos dados, que antes não estavam disponíveis em tempo real e agora, se fazem necessários.

Abaixo então, os motivos para se digitalizar estes dados através da IoT e IIoT:

  • Informação barata
  • Transformar informação em inteligência
  • Diminuir Expertise
  • Diminuir risco de tomada de decisões
  • Diminuição de operações
  • Transparência de ações
  • O executado é “aprendido”
  • Eliminar o “meio”
  • Eliminar erro e desperdício
  • Ganho de tempo

A camada de IoT e IIoT na indústria provocará um modelo de prognóstico, uma vez que a automação – que já existe – responde perguntas do que está acontecendo, o que aconteceu e porque aconteceu.

Mas esta camada digital, responderá perguntas tais como: o que irá acontecer, e, isso mudará a forma de operar e manter uma planta industrial.

Se as informações estão todas digitalizadas e há todos os meios (redes) para que trafeguem e troquem informações entre si, é esperado que se possa haver tomada de decisões não só entre operadores e máquinas, mas também entre máquina e máquina, isto chamamos de M2M, Machine to Machine.

Um item muito importante que deve ser levado em consideração para a digitalização da produção, são os RFID’s (Sistemas de Identificação por Rádio Frequência), que em linhas gerais, permitem o rastreio total de todos elementos produtivos dentro da planta e fora dela, permitindo ações em tempo real (tempo e local), fazendo correções, agindo de forma antecipada e monitorando a qualidade no instante do movimento produtivo.

Com estas camadas digitais, construídas pela IoT e IIoT, podemos utilizar tecnologias de planejamento, qualidade e operação, de uma forma totalmente inovadora.

A virtualização é o planejamento produtivo totalmente digital, do projeto a produção, podendo trabalhar todos os cenários, mesmo antes da produção real acontecer.

Referência: http://www.automacaoindustrial.info

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑